Japa quente: 8 dicas de lamen e udon para se esquentar em SP

junho 21, 2014

Caldos japoneses com macarrão lamen ou udon e suas deliciosas variações são sinônimos perfeitos de “confort food”. Veja aqui uma seleção de 8 japas que prometem te embalar nas noites mais frias, sem gastar muito.

A lista começa com as preciosas dicas de ‘ramen’ (como dizem os japoneses) do amigo Edgard Kanamaru, que tem feito incursões pelas casas especializadas na Liberdade. Na sequência, entram as versões de ‘udon’ que o Braun Café recomenda na região Paulista-Paraíso. Bora lá!

Aska

Missô Tonkotsu (caldo a base de porco) do Aska, com o acréscimo de tyashu

Missô Tonkotsu (caldo a base de porco) do Aska, com o acréscimo de tyashu

“Entre as casas que só servem lamen, na minha humilde opinião de comilão, o Aska é uma das melhores”, diz Edgard. Apesar dos avisos de não ficar fazendo hora na mesa e de não aceitar plástico, só dinheiro, e de ter esperas consideráveis, a casa vale a visita não só pelo lamen, que é muito bom e honesto.

Porção de guiosa do Aska com molho de óleo de gergelim e pimenta

Porção de guiosa do Aska com molho de óleo de gergelim e pimenta

O guiosa da casa, recheado com carne de porco e cebola na chapa, é abafado, o que faz com que a parte de baixo do pastelzinho fique com uma cor dourada e seu topo cozido no vapor. Uma refeição com lamen e guiosa custa menos de R$ 30 (lamen por R$ 17 a R$ 19 e guiosa por R$ 10). E por R$ 2 é possível pedir o kaedama que nada mais é do que um extra de macarrão para aproveitar o caldo da tigela.

Lamen Kazu

Misso tyashu do Lamen Kazu: massa servida em caldo à base de carnes e misso e fatias de lombo de porco

‘Misso tyashu’ do Lamen Kazu: massa servida em caldo à base de carnes e misso e fatias de lombo de porco

Só lamen, sem preconceito. O Lamen Kazu oferece uns 14 tipos de lamen. O que provei foi um misso tyashu, que consiste em uma massa servida com um caldo à base de carnes e misso (pasta de arroz e soja fermentada com sal) com o acréscimo de fatias de lombo de porco (tyashu). O pedido sai pouco mais que R$ 30 já com os 10% do serviço. Nos dias frios, a casa costuma ficar cheia e com longas filas de espera.

Porque Sim

Porque Sim tem 'misso lamen com tyashu' por R$ 22 e salas de karaokê

Porque Sim tem ‘misso lamen com tyashu’ por R$ 22 e salas de karaokê

O Porque Sim se intitula uma casa de lamen, mas serve outros pratos da culinária japa a preços camaradas. O misso lamen com tyashu (fatias de carne de porco cozidas no shoyu) sai por R$ 22 e não cobram 10% de serviço. O local também ficou famoso pelas salas de karaokê no andar superior. Duas ótimas pedidas.

Pub Key

Lamen do Pub Key também está no teishoku, no almoço executivo

Misso lamen ‘ao dente’ do Pub Key também está no teishoku, no almoço

Este restaurante tem um bom indicativo: é frequentado por muitos japas que trabalham na região da Av. Paulista. Serve vários pratos da culinária japonesa em formato de teishoku no almoço. Na foto acima está um misso lamen (mais ‘ao dente’) com acréscimo de tyashu. Este lamen não é dos mais baratos e saiu por uns R$ 40, no jantar.  Já no almoço, o teishoku, que é composto por lamen e mais alguns complementos, não sai por mais de R$ 35. A casa não cobra 10% de serviço.

Ramen-Ya

Lamen com caldo de porco apimentado com bacon, do novato Ramen-Ya

Lamen com caldo de porco apimentado com bacon, do novato Ramen-Ya

Esta é a novata das casas de macarrão com caldo fumegante. Lá encontrei este lamen inusitado com bacon e caldo apimentado que achei incrível. O bacon é cozido no caldo a base de porco, o que deixa um toque defumado no caldo. A casa, por ser nova no pedaço, não tem filas e seu atendimento é diferente. Você faz o pedido na entrada, paga em dinheiro (não aceitam cartões) e espera o seu lamen ficar pronto, o que é rápido, dependendo da sua fome. O lamen da foto ficou em R$ 19 e o kaedama (macarrão extra) custa R$ 2, mas vale ser pedido depois, caso contrário ficará frio esperando você comer a primeira leva de macarrão. O guiosa (R$ 12)  tem um recheio de carne com cebolinha muito bom, mas falta um acabamento mais primoroso.

Miyabi

Udon também é acompanhamento no 'super teishoku' do Myiabi

Udon também é acompanhamento no ‘superteishoku’ do Myiabi

A primeira vez que ouvi falar de Nabeyaki Udon foi em uma referência ao Myiabi. Na casa, o caldo a base de shoyu e peixe com o macarrão branco udon inclui camarão empanado, shitake, “kamaboko” (massinha de frutos fo mar de cor rosa e branca), tofu frito, cebolinha e ovo. O restaurante, que já foi tema de post aqui no Braun Café, também oferece udon no melhor teishoku da cidade (em média por R$ 34, no almoço executivo). Dica do Edgard: “o senhor Massanobu Haragushi, ex-Myiabi, agora toca o Ban, que fica na Liberdade (Rua Thomaz Gonzaga, 20) e continua mandando muito bem nos caldos, que são sua especialidade. Vale um visita ao Ban para esperimentar um udon.”

Sushi Guen

Nabeyaki Udon do Sushi Guen

Nabeyaki Udon do Sushi Guen vem ‘pelando’

Já falamos do lamen do Sushi Guen, que é um dos japas favoritos do Braun Café (Edgard que indicou). Se pedir o Nabeyaki Udon (R$ 38) vale deixar a tigela tampada por alguns minutos para que o ovo cru cozinhe um pouquinho. O caldo vem ‘pelando’ à mesa com shimeji, shitake, camarão empanado, “kamaboko” (massinha a base de frutos do mar de cor branca e rosa) e muita cebolinha. Se preferir a gema mole, envolvida no caldo, é só se jogar.

Shigue

Tempurá Udon do Shigue (R$ 25) com caldo de frango, tempurá de legumes e um camarão

Tempurá Udon do Shigue com caldo de frango, legumes e camarão (o Togarashi, no vidrinho à direita, é um mix de pimenta e especiarias para esquentar o caldo)

Sou fã do teishoku do Shigue e o Tempurá Udon da casa também é uma boa pedida. O caldo de frango com macarrão leva tempurá de legumes, como berinjela e batata doce, e um camarão. É simples, saboroso e tem preço amigo (R$ 25). O Nabeyaki Udon sai por R$ 35 e o Shoyu Lamen custa R$ 25.
Dica: prove com pitadas de Togarashi, uma pimenta com especiarias, para esquentar ainda mais o caldo.

Shinzushi

2014-02-16 20.04.23

Japa tradição, o Shinzushi não tem nem cardápio em português, mas dá pra entender que os preços são salgados. O Nabeyaki Udon (R$ 58) é bem incrementado e inclui uma espécie de ‘pururuca’ oriental. É bem gostoso. Pra ficar perfeito só precisava ser mais barato.

Udon e tempurá do Shinzushi.

Tempurá Udon do Shinzushi.

Endereços e horários

Aska
Rua Galvão Bueno, 466 – Liberdade
Tel.: (11) 3277-9682
Terça a domingo das 11h às 14h e das 18h às 22h (fecha segunda)

Lamen Kazu – Noodle House
Rua Thomaz Gonzaga, 51 – Liberdade
Tel: (11) 3277-4286
Segunda a sábado das 11h às 15h e das 18h às 22h30
Domingos e feriados das 11h às 15h e das 18h às 21h

Porque Sim
Rua Tomás Gonzaga, 75 – Liberdade

Tel: (11) 3277-1557
Segunda a quinta das 12h às 23h30
Sexta e Sábado das 12h às 5h (na madrugada é preciso reservar)
Domingos e feriados das 12h às 22h
Fecha às quartas e no primeiro domingo de cada mês (porque sim).

Pub Key
Av. Paulista, 854, loja 69 (shopping Top Center)
Tel.: (11) 3145-1741
Segunda a sexta das 11h30 às 14h30 e das 18h30 às 21h
Sábado das 11h30 às 15h e das 18h30 às 21h (fecha domingo)

Ramen-Ya
Rua da Glória, 326 – Liberdade
Tel.: (11) 3208-7004
Terça a domingo das 11:30h às 15hs e das 18h às 22h (fecha segunda)

Miyabi
Av. Paulista, 854, lojas 79/80 (shopping Top Center)
Tel.: (11) 3289-4708
Segunda a sábado das 11h30 às 14h30 e das 18h às 22h30 (fecha domingo)

Sushi Guen
Rua Manoel da Nóbrega, 76, lojas 13 e 14, Galeria Ouro Branco – Jardim Paulista
Tel.: (11) 3289-5566

Segunda a sábado das 11h30 às 14h30 e das 18h às 23h (fecha domingo)

Shigue
Rua Doutor Sampaio Viana, 294 – Paraíso
Tel.: (11) 3885-9606
Segunda a sábado das 11h30 às 14h30 e das 18h30 às 22h (fecha domingo)

Shinzushi
Rua Afonso de Freitas, 169 – Paraíso, São Paulo – SP, 04006-050
Tel.: (11) 3889-8700
Terça a sábado das 11h30 às 14h e das 18h às 23h
Domingos e feriados das 18h às 22h (fecha segunda)

About these ads

3 Responses to “Japa quente: 8 dicas de lamen e udon para se esquentar em SP”

  1. cezargalvao Says:

    Para estes dias mais frios, ótimas sugestões. Para os dias de calor ótimas também.

    • mario nagano Says:

      Para os dias mais quentes existe um prato de macarrão frio chamado “Lamen Hyashi Tchuka” que nada mais é que macarrão de lámem cozido e frio servido com vegetais (pepino tomate, broto de feijão), presunto e ovo — tudo cortado em tiras e regado por um molho (também frio) a base de molho de soja.

      A maioria dos restaurantes tradicionais que que servem lámen costumam oferecer esse item no cardápio.

  2. mario nagano Says:

    Quando o assunto é udon/lámen na Liberdade, existem um restaurante bem antigo chamado Mugi (= trigo em japonês) especializado em massas japonesas, localizado no primeiro andar do chamado Food Centre, um prédio que abriga pequenos restaurantes especializados (sushi, sukiyaki, lámen, yakiniku, etc.) e que, durante a semana, é muito frequentado pelo pessoal do Fórum Central João Mendes que não fica muito longe.

    Eu particularmente curto o Mugi porque ele me lembra o que nos anos 1970~80 era chamado de “Bar & Restaurante”, um local simples e sem muita frescura onde você senta no balcão, faz o pedido, come, paga a conta e resolve a sua demanda alimentar em menos de 20 minutos ou seja, algo como um fast-food a moda antiga e uma ótima dica para um almoço rápido, principalmente se você está sozinho lá no centro.

    E talvez por causa desse clima de japonês à paulista, as receitas e a apresentação dos pratos do Mugi tem um clima meio informal e um tempero mais caseiro (pelo menos para nós nikkeis) com alguns toques que não costumo ver em outros lugares mais chiques, como misturar moyashi (broto de feijão) junto com o macarrão de lámen ou fritar por imersão o macarrão de Yakisoba (sosu soba) ao ponto dele sair do tacho duro como um biscoito de polvilho mas, ao ser misturado com o um rico molho a base de shoyu e vegetais, ele fica super crocante e obscenamente gostoso — ALTAMENTE RECOMENDADO!!!

    Observo porém que esse modo de fritar o macarrão precisa ser feito na hora do pedido já que, até onde me lembre, essa opção não está descrita no menu. Caso contrário, ele só será levemente tostado na frigideira com um pouco de óleo.

    Para aqueles que preferem algo menos gorduroso e mais saudável, a dica são os pratos onde o lámen é trocado por macarrão de trigo sarraceno (soba).

    Já para aquele que realmente querem se esquentar nesse inverno são os pratos de lámen ou udon onde o caldo tradicional é substituído por curry japonês (karê-mugi).

    Como nota de rodapé, vale a pena citar que o Food Centre também abriga o Udon Nakamura um restaurante cujo prato principal — Udon (duh!) — chegou a ser tão mítico quanto a chuleta do Sujinho ou a sopa de cebola do Ceasa.

    É o que diz a lenda que circula no bairro, mas ela também diz que seus dias de glória se foram junto com o fundador do restaurante, de modo que não nem citaria esse local, a não ser para não confundi-lo com o Mugi.

    O Food Centre fica no começo da rua da Glória número 111 no bairro da Liberdade em São Paulo. O Mugi fica na sala 11 e o seu telefone é (11)3106-8260.

    Existe um estacionamento (pago à parte) no térreo, o que pode ser bastante conveniente (principalmente a noite). De fato, apesar desse restaurante não ficar muito longe da estação Liberdade, não recomendo caminhar por aquelas bandas, principalmente depois que o comércio da rua já tiver fechado.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.412 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: